quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Polícia tenta desvendar sumiço da estudante Stefanini de Freitas

As investigações sobre o desaparecimento da estudante Stefanini de Freitas Monken da Conceição, 18 anos, a Fani, se tornaram prioridade na 105ªDP. A afirmação é do delegado Marcello Maia, que permanece realizando diligências em busca de pistas sobre o paradeiro da jovem. O trabalho, entretanto, está sendo prejudicado por conta de boatos que estão sendo espalhados em toda a cidade. A moça reside no Sítio Morro Florido, na Estrada da Saudade.

De acordo com o delegado, desde o desaparecimento de Stefanini, várias histórias, algumas delas extremamente exageradas, estão sendo passadas para a delegacia através de denúncias anônimas. Ontem, por exemplo, junto com sua equipe, Marcello Maia teve que verificar a informação de que a moça estaria sendo mantida numa residência da Rua 24 de Maio. “Todas as informações estão sendo verificadas e, em situações como essa, acabamos perdendo tempo num boato”, explicou o delegado, completando: “Precisamos da população para solucionar esse caso, mas, para nos ajudar, pedimos que as pessoas façam a denúncia quando realmente tiverem certeza”.

Ontem, Thiago, namorado da jovem, disse estar bastante abalado com a situação. Ele faz estágio na farmácia de um hospital da cidade, mas desde o desaparecimento de Stefanini não consegue sair de casa para o trabalho. Eles se falaram pela última vez na noite de quinta-feira, quando Stefanini ligou para o rapaz, como fazia toda noite. Como de costume, o casal se encontraria na manhã seguinte, quando ela estivesse indo para a escola e o namorado para o curso. “Mas ela não apareceu. Estranhei, mas achei que tivesse levado um ‘bolo’. Ainda encontrei com algumas amigas dela e reclamei”, lembrou o rapaz.

Segundo o rapaz, que tem 18 anos, ele passou a manhã de sexta-feira tentando falar com a namorada. Chegou a passar várias mensagens, mas o telefone dela já estaria desligado. Conseguiu apenas falar com o irmão da moça, o qual garantiu que ela havia saído para a escola. “Assim que saí do curso, comecei a procurar. Rodei toda a Estrada da Saudade e fui até o centro da cidade. Quando retornei, no caminho da casa dela, já encontrei a polícia e os bombeiros fazendo as buscas”, contou, afirmando que os dois viviam um momento feliz. “Também estava bem com a família e não tinha qualquer motivo para fugir, como muitos chegaram a cogitar”, garante.
De acordo com a mãe do rapaz, Thiago está muito abalado emocionalmente. “Para piorar a situação, estão aparecendo histórias horríveis que acabam o colocando ainda mais desesperado. Acreditamos que ela esteja sendo mantida presa em algum lugar”, disse Dayse.
Stefanini foi vista pela última vez na manhã de sexta-feira, por volta das 6h, quando saiu de casa a caminho da escola, que fica na Estrada da Saudade. Usava o uniforme da Escola Irmã Cecília Jardim e um casaco branco. Com 1m77 de altura, ela é morena, com cabelos encaracolados, olhos castanhos e pesa aproximadamente 68 quilos.
Informações sobre o paradeiro da moça podem ser passadas para a Polícia Civil, através do telefone 2291-0816, ou pelo Disque Denúncia, pelo 0300-253-1177. O Disque-Denúncia da Polícia Militar – 2242-8005 – também está disponível

diHITT - Notícias

Um comentário:

Ydesing.estampa disse...

"O tempo passa" Muitas dúvidas começam rodear nossas cabeças...
Tento fazer meu filho levar a vida, o mais normal possível. Mas quem tem um filho(a) com essa idade, sabe que quando estão apaixonados, tudo é muito complicado.
Ainda mais em uma situação dessas!
Ouço muitas pessoas falando que ela foi embora por sua própria vontade, que deve estar com "outro" e que meu filho é um "bôbo"
Ao mesmo tempo, lembro do carinho que um demonstrava ao outro, fazendo planos... Lendo cartas de amor que ela escrevia para ele... As vezes parece que estamos falando de duas "Stefanini" diferentes.
Ainda por cima, vejo o pai dela, falar pra todos que acha que meu filho é o principal suspeito... e que eu não gostava dela. Pior que parece estar realmente convencido disso, e não parece olhar para outras possibilidades...
Ele é pai, e eu sou mãe. Tínhamos que nos unir para esclarecer todas essa informações desencontradas... Mas, vai ficar nas mãos da polícia, federal, estadual, e principalmente nas mãos de "DEUS"
A verdade falha, mas não tarda... só espero que ela volte, sã e salva!
DAYSI