quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Uma mentira que pode trazer mais fome ao mundo!

O meu “irmão mais velho, Amaury”, enviou-me esta entrevista com um cientista brasileiro, que apesar de eu não conhecer, comunga comigo, apesar do meu parco conhecimento, e de não ser especialista na área, sobre as verdadeiras intenções de toda essa campanha para conscientizar o mundo, de que estamos poluindo o mundo com a emissão de CO2. Ora, todos nós aprendemos na escola que o carbono é bom para as plantas e que, junto com a fotossíntese, são alimento para a flora.
O que não foi falado, é que somente a grande explosão do vulcão Krakatoa em 1883, cobriu o planeta com uma nuvem preta de CO2, isso mesmo, CO2, vejam mais detalhes no link abaixo:

Vulcão Krakatoa

Meu avô que nasceu em 1907, já falava sobre isso. O pai dele lembrava “Como uma nuvem preta mudou a coloração do sol”. Isso nos Açores , E onde ficam os Açores? Arquipélago no meio do Atlântico exatamente do outro lado do globo. Naquela época não havia comunicações, mas os portugueses, viajavam por todo o mundo e meses depois chegaram relatos ao porto da Horta, porto seguro onde todos os navios que atravessavam o mar paravam para reabastecer.
É muito bom reavaliarmos o enfoque sobre destruição do planeta. Nossa biosfera merece mais respeito. Mas querer culpar o ser humano pelo aquecimento global é mais uma denúncia político-econômica do que cientifica. Temos centenas de vulcões. Para quem não tem uma idéia qdo que é um vulcão, abaixo alguns sites.

Os vulcões mais impressionantes do mundo

E vejam quantos vulcões entraram em erupção somente nos últimos meses.

Páginas do Google sobre vulcões

Prestem atenção nas palavras do reporter da Band News, a respeito do vulcão Chaiten.


Há pelo menos mais uma dezena de fatores que podem mudar, ou melhor influenciar o clima do mundo.

E agora ?
Em que teoria devemos acreditar ?

****************************************************
Existem muitos cientistas que não concordam que o atual aquecimento global é causado pela ação do homem. Só que estes cientistas não conseguem penetrar na grande imprensa. O aquecimento global vende muito jornal e existe uma má vontade sobre o assunto porque parece que se colocar contra o aquecimento global coincide com se opor aos Estados Unidos. Como o esporte mundial atual e descer o cacete nos americanos, os cientistas que discordam do aquecimento global não têm voz ativa. O irônico nisto tudo é que a luta contra o aquecimento global da forma como está sendo vista prejudica os países em desenvolvimento. É muito interessante a entrevista deste meteorologista na UOL. Food for tought...

“Não existe aquecimento global”, diz representante da OMM na América do Sul
domingo, 13 de dezembro de 2009.

Leiam esta entrevista pulicada no UOL.
Por Carlos Madeiro:

Com 40 anos de experiência em estudos do clima no planeta, o meteorologista da Universidade Federal de Alagoas Luiz Carlos Molion apresenta ao mundo o discurso inverso ao apresentado pela maioria dos climatologistas. Representante dos países da América do Sul na Comissão de Climatologia da Organização Meteorológica Mundial (OMM), Molion assegura que o homem e suas emissões na atmosfera são incapazes de causar um aquecimento global. Ele também diz que há manipulação dos dados da temperatura terrestre e garante: a Terra vai esfriar nos próximos 22 anos
Em entrevista ao UOL, Molion foi irônico ao ser questionado sobre uma possível ida a Copenhague: “perder meu tempo?” Segundo ele, somente o Brasil, dentre os países emergentes, dá importância à conferência da ONU. O metereologista defende que a discussão deixou de ser científica para se tornar política e econômica, e que as potências mundiais estariam preocupadas em frear a evolução dos países em desenvolvimento.

UOL: Enquanto todos os países discutem formas de reduzir a emissão de gases na atmosfera para conter o aquecimento global, o senhor afirma que a Terra está esfriando. Por quê?
Luiz Carlos Molion: Essas variações não são cíclicas, mas são repetitivas. O certo é que quem comanda o clima global não é o CO2. Pelo contrário! Ele é uma resposta. Isso já foi mostrado por vários experimentos. Se não é o CO2, o que controla o clima? O sol, que é a fonte principal de energia para todo sistema climático. E há um período de 90 anos, aproximadamente, em que ele passa de atividade máxima para mínima. Registros de atividade solar, da época de Galileu, mostram que, por exemplo, o sol esteve em baixa atividade em 1820, no final do século 19 e no inicio do século 20. Agora o sol deve repetir esse pico, passando os próximos 22, 24 anos, com baixa atividade.

UOL: Isso vai diminuir a temperatura da Terra?
Molion: Vai diminuir a radiação que chega e isso vai contribuir para diminuir a temperatura global. Mas tem outro fator interno que vai reduzir o clima global: os oceanos e a grande quantidade de calor armazenada neles. Hoje em dia, existem boias que têm a capacidade de mergulhar até 2.000 metros de profundidade e se deslocar com as correntes. Elas vão registrando temperatura, salinidade, e fazem uma amostragem. Essas boias indicam que os oceanos estão perdendo calor. Como eles constituem 71% da superfície terrestre, claro que têm um papel importante no clima da Terra. O [oceano] Pacífico representa 35% da superfície, e ele tem dado mostras de que está se resfriando desde 1999, 2000. Da última vez que ele ficou frio na região tropical foi entre 1947 e 1976. Portanto, permaneceu 30 anos resfriado.

UOL: Esse resfriamento vai se repetir, então, nos próximos anos?
Molion: Naquela época houve redução de temperatura, e houve a coincidência da segunda Guerra Mundial, quando a globalização começou pra valer. Para produzir, os países tinham que consumir mais petróleo e carvão, e as emissões de carbono se intensificaram. Mas durante 30 anos houve resfriamento e se falava até em uma nova era glacial. Depois, por coincidência, na metade de 1976 o oceano ficou quente e houve um aquecimento da temperatura global. Surgiram então umas pessoas - algumas das que falavam da nova era glacial - que disseram que estava ocorrendo um aquecimento e que o homem era responsável por isso.

UOL: O senhor diz que o Pacífico esfriou, mas as temperaturas médias Terra estão maiores, segundo a maioria dos estudos apresentados.
Molion: Depende de como se mede.

UOL: Mede-se errado hoje?
Molion: Não é um problema de medir, em si, mas as estações estão sendo utilizadas, infelizmente, com um viés de que há aquecimento.

UOL: O senhor está afirmando que há direcionamento?
Molion: Há. Há umas seis semanas, hackers entraram nos computadores da East Anglia, na Inglaterra, que é um braço direto do IPCC [Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática], e eles baixaram mais de mil e-mails. Alguns deles são comprometedores. Manipularam uma série para que, ao invés de mostrar um resfriamento, mostrassem um aquecimento.

UOL: Então o senhor garante existir uma manipulação?
Molion: Se você não quiser usar um termo tão forte, digamos que eles são ajustados para mostrar um aquecimento, que não é verdadeiro.

UOL: Se há tantos dados técnicos, por que essa discussão de aquecimento global? Os governos têm conhecimento disso ou eles também são enganados?
Molion: Essa é a grande dúvida. Na verdade, o aquecimento não é mais um assunto científico, embora alguns cientistas se engajem nisso. Ele passou a ser uma plataforma política e econômica. Da maneira como vejo, reduzir as emissões é reduzir a geração da energia elétrica, que é a base do desenvolvimento em qualquer lugar do mundo. Como existem países que têm a sua matriz calcada nos combustíveis fósseis, não há como diminuir a geração de energia elétrica sem reduzir a produção.

UOL: Isso traria um reflexo maior aos países ricos ou pobres?
Molion: O efeito maior seria aos países em desenvolvimento, certamente. Os desenvolvidos já têm uma estabilidade e podem reduzir marginalmente, por exemplo, melhorando o consumo dos aparelhos elétricos. Mas o aumento populacional vai exigir maior consumo. Se minha visão estiver correta, os paises fora dos trópicos vão sofrer um resfriamento global. E vão ter que consumir mais energia para não morrer de frio. E isso atinge todos os países desenvolvidos.

UOL: O senhor, então, contesta qualquer influência do homem na mudança de temperatura da Terra?
Molion: Os fluxos naturais dos oceanos, polos, vulcões e vegetação somam 200 bilhões de emissões por ano. A incerteza que temos desse número é de 40 bilhões para cima ou para baixo. O homem coloca apenas 6 bilhões, portanto a emissões humanas representam 3%. Se nessa conferência conseguirem reduzir a emissão pela metade, o que são 3 bilhões de toneladas em meio a 200 bilhões?Não vai mudar absolutamente nada no clima.

UOL: O senhor defende, então, que o Brasil não deveria assinar esse novo protocolo?
Molion: Dos quatro do bloco do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), o Brasil é o único que aceita as coisas, que “abana o rabo” para essas questões. A Rússia não está nem aí, a China vai assinar por aparência. No Brasil, a maior parte das nossas emissões vem da queimadas, que significa a destruição das florestas. Tomara que nessa conferência saia alguma coisa boa para reduzir a destruição das florestas.

UOL: Mas a redução de emissões não traria nenhum benefício à humanidade?
Molion: A mídia coloca o CO2 como vilão, como um poluente, e não é. Ele é o gás da vida. Está provado que quando você dobra o CO2, a produção das plantas aumenta. Eu concordo que combustíveis fósseis sejam poluentes. Mas não por conta do CO2, e sim por causa dos outros constituintes, como o enxofre, por exemplo. Quando liberado, ele se combina com a umidade do ar e se transforma em gotícula de ácido sulfúrico e as pessoas inalam isso. Aí vêm os problemas pulmonares.

UOL: Se não há mecanismos capazes de medir a temperatura média da Terra, como o senhor prova que a temperatura está baixando?
Molion: A gente vê o resfriamento com invernos mais frios, geadas mais fortes, tardias e antecipadas. Veja o que aconteceu este ano no Canadá. Eles plantaram em abril, como sempre, e em 10 de junho houve uma geada severa que matou tudo e eles tiveram que replantar. Mas era fim da primavera, inicio de verão, e deveria ser quente. O Brasil sofre a mesma coisa. Em 1947, última vez que passamos por uma situação dessas, a frequência de geadas foi tão grande que acabou com a plantação de café no Paraná.

UOL: E quanto ao derretimento das geleiras?
Molion: Essa afirmação é fantasiosa. Na realidade, o que derrete é o gelo flutuante. E ele não aumenta o nível do mar.

UOL: Mas o mar não está avançando?
Molion: Não está. Há uma foto feita por desbravadores da Austrália em 1841 de uma marca onde estava o nível do mar, e hoje ela está no mesmo nível. Existem os lugares onde o mar avança e outros onde ele retrocede, mas não tem relação com a temperatura global.

UOL: O senhor viu algum avanço com o Protocolo de Kyoto?
Molion: Nenhum. Entre 2002 e 2008, se propunham a reduzir em 5,2% as emissões e até agora as emissões continuam aumentando. Na Europa não houve redução nenhuma. Virou discursos de políticos que querem ser amigos do ambiente e ao mesmo tempo fazer crer que países subdesenvolvidos ou emergentes vão contribuir com um aquecimento. Considero como uma atitude neocolonialista.

UOL: O que a convenção de Copenhague poderia discutir de útil para o meio ambiente?
Molion: Certamente não seriam as emissões. Carbono não controla o clima. O que poderia ser discutido seria: melhorar as condições de prever os eventos, como grandes tempestades, furacões, secas; e buscar produzir adaptações do ser humano a isso, como produções de plantas que se adaptassem ao sertão nordestino, como menor necessidade de água. E com isso, reduzir as desigualdades sociais do mundo.

UOL: O senhor se sente uma voz solitária nesse discurso contra o aquecimento global?
Molion: Aqui no Brasil há algumas, e é crescente o número de pessoas contra o aquecimento global. O que posso dizer é que sou pioneiro. Um problema é que quem não é a favor do aquecimento global sofre retaliações, têm seus projetos reprovados e seus artigos não são aceitos para publicação. E eles [governos] estão prejudicando a Nação, a sociedade, e não a minha pessoa.

diHITT - Notícias

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Pequenas ações, grandes recompensas.

Quem disse que gentileza, não pode se tornar praticidade. Ontem, na fila do Supermercado Guanabara, uma cliente se ofereçeu para ajudar-me a empacotar as compras.
O argumento dela, ante minha surpresa. - Assim eu ajudo o Sr. e em vez de ficar esperando, acelero o meu atendimento.

No final apertei a mão dessa senhora sob o testemunho meio surpreso da caixa. Não me importei em saber o nome dessa senhora (uns 34 anos), pois o ato dela é seu melhor prémio. Às vezes simples decisões melhoram nosso dia-a-dia. Se essa senhora, em vez de tentar levar vantagem, procurar filas menores, o que eu acho uma decisão de lógica, decidir ajudar o cliente da frente, vai com certeza, ser atendida mais rápido, e se a que estiver atrás fizer o mesmo vai formar uma corrente que no final vai benificiar a todos.
Tem gente que acha que sinais e quebra-molas (que maravilha), são obrigatórias no caótico sistemas de ruas e avenidas das nossas grandes cidades. Ledo engano. Sinais e quebra-molas só deixam os motoristas nervosos e a médio prazo, pioram o trânsito. Fiquei atônito, quando eu e minha esposa, colocamos o pé na rua em Paracambi e todos os carros pararam, sem nenhum sinal, a não ser as faixas convencionais para passagem de pedestres. Paracambi, cidade pequena, situada a 50 kms do Rio de janeiro, só tem um ou dois sinais, mas tem a educação da cidadania. Todas as vezes que agridem o cidadão inocente que quer ter o direito de ir e vir e paga caro por ele, consciente ou inconscientemente, ele vai se vingar.
Parabéns, senhora do Guanabara. Com aquele gesto de ontem resgatou em mim um fio de esperança de solidariedade expontanea entre seres humanos. E é por isso que eu gosto do Brasil, dos fluminenes e principalmente da cidade onde vivo, Nova Iguaçu.

diHITT - Notícias

domingo, 25 de outubro de 2009

Diferença entre a Escala Richter e Mercalli

Do site: http://www.apolo11.com

A escala de Richter foi desenvolvida em 1935 pelos sismólogos Charles Francis Richter e Beno Gutenberg, ambos membros do California Institute of Technology (Caltech), que estudavam sismos no Sul da Califórnia.
Representa a energia sísmica liberada durante o terremoto e se baseia em registros sismográficos.
A escala Richter aumenta de forma logarítimica, de maneira que cada ponto de aumento sigifica um aumento 10 vezes maior. Dessa forma, um sismo de magnitude 4 é 100 vezes maior que um de 2. No entanto, é importante salientar que o que aumenta é a amplitude das ondas sismográficas e não a energia liberada. Em termos gerais a energia de um terremoto aumentaria um fator 33 para cada grau de magnitude, ou aproximadamente 1000 vezes a cada duas unidades.


Mag Escala Richter e efeitos associados
1 Não é sentido pelas pessoas. Só os sismógrafos registram
2 É sentido nos andares mais altos dos edifícios
3 Lustres podem balançar. A vibração é igual à de um caminhão passando
3.5 Carros parados balançam, peças feitas em louça vibram e fazem barulho
4.5 Pode acordar as pessoas que estão dormindo, abrir portas, parar relógios de pêndulos e cair reboco de paredes
5 É percebido por todos. As pessoas caminham com dificuldades, livros caem de estantes; os móveis podem ficar virados
5.5 As pessoas têm dificuldades de caminhar, as paredes racham, louças quebram
6.5 Difícil dirigir automóveis, forros desabam, casas de madeira são arrancadas de fundações. Algumas paredes caem
7 Pânico geral, danos nas fundações dos prédios, encanamentos se rompem, fendas no chão, danos em represas e queda de pontes.
7.5 Maioria dos prédios desaba, grandes deslizamentos de terra, rios transbordam, represas e diques são destruídos
8.5 Trilhos retorcidos nas estradas de ferro, tubulações de água e esgoto totalmente destruídas
9 Destruição total. Grandes pedaços de rocha são deslocados, objetos são lançados no ar

A escala Richter é uma escala infinita ou aberta, podendo inclusive apresentar números negativos. No entanto, as forças naturais envolvidas limitam o topo da escala em aproximadamente 10. Teoricamente não existe energia em um terremoto capaz de superar esta marca.


Escala Mercalli
A escala de Richter não permite avaliar a intensidade sísmica em um local determinado e em particular em zonas urbanas. Para tal, utilizam-se escalas de intensidade, tais como a escala d
A escala de Mercalli tem uma importância apenas qualitativa e não deve ser interpretada em termos absolutos, uma vez que depende de observação humana. Por exemplo, um sismo com 8 na escala de Richter num deserto inabitado é classificado como 1 na escala de Mercalli, enquanto que um sismo de menor magnitude sísmica, por exemplo 5, numa zona onde as construções são débeis e pouco preparadas para resistir a terramotos pode causar efeitos devastadores e ser classificado com intensidade IX. e Mercalli , criada em 1902 pelo sismólogo italiano Giusseppe Mercalli. Essa escala, ao contrário da escala de Richter não se baseia em registros sismográficos e sim nos efeitos ou danos produzidos nas estruturas e percebido pelas pessoas nas imediações do abalo. Para um mesmo sismo, a intensidade pode ser diferente em diversas localidades reportadas.




M Escala Mercalli e os efeitos percebidos
1 Nenhum movimento é percebido
2 Algumas pessoas podem sentir o movimento se elas estão em repouso e/ou em andares elevados de edifícios
3 Diversas pessoas sentem um movimento leve no interior de prédios. Os objetos suspensos se mexem. No exterior, no entanto, nada se sente
4 No interior de prédios, a maior parte das pessoas sentem o movimento. Os objetos suspensos se mexem, e também as janelas, pratos, armação de portas
5 A maior parte das pessoas sente o movimento. As pessoas adormecidas se acordam. As portas fazem barulho, os pratos se quebram, os quadros se mexem, os objetos pequenos se deslocam, as árvores oscilam, os líquidos podem transbordar de recipientes abertos
6 Todo mundo sente o terremoto. As pessoas caminham com dificuldade, os objetos e quadros caem, o revestimento dos muros pode rachar, árvores e os arbustos são sacudidos. Danos leves podem acontecer em imáveis mal construídos, mas nehum dano estrutural
7 As pessoas têm dificuldade de se manter em pé, os condutores sentem seus carros sacudirem, alguns prédios podem desmoronar. Tijolos podem se desprender dos imóveis. Os danos são moderados em prédios bem construídos, mas podem ser importantes no resto
8 Os condutores têm dificuldade em dirigir, casas com fundações fracas tremem, grandes estruturas, como chaminés e prédios podem se torcer e quebrar. Prédios bem construídos sofrem danos leves, contrariamente aos outros, que sofrem severos danos. Os galhos das árvores se quebram, colinas podem ter fissuras se a terra está úmida e o nível d'água nos poços artesianos pode se modificar
9 Todos os prédios sofrem grandes danos. As casas sem alicerces se deslocam. Algumas canalizações subterrânes se quebram, a terra se fissura
10 A maior parte dos prédios e suas fundações são destruídos, assim como algumas pontes. As barragens são significativamente danificadas. A água é desviada de seu leito, largas fissuras aparecem no solo, os trilhos das ferrovias entortam
11 Grande parte das construções desabam, as pontes e as canalizações subterrâneas são destruídas
12 Quase tudo é destruído. O solo ondula. Rochas podem se deslocar


diHITT - Notícias

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Maitê Proença é um tôla!

Em 92 em viagem por Portugal com minha esposa, sou testemunha das mudanças radicais nos costumes portugueses, quando minha falecida avó interrompe bombasticamente, nosso tradicional "serão", para ver Sassá Mutema, uma novela brasileira. Que diabos era a tal novela?? Minha esposa uma noveleira de marca maior, solucionou o caso! Era o nome do personagem do Lima Duarte, em "O Salvador da Pátria" novela brasileira da Globo . Profetizei na época: Portugal vai ser invadido, culturalmente pelo Brasil. Não deu outra. Em todos os níveis, desde páginas na Internet, Paulo Coelho, Ivete Sangalo, Fafá de Belém e todas as artes, inclusive teatro, "última flôr do Lácio", fez os portugueses "caírem de quatro" pela nova aragem cultural.
O que se espera quando alguém visita a nossa casa? Que não fique reparando nos defeitos e sim nas qualidades. Defeitos todos nós temos, o que nos diferencia são as qualidades. por sua originalidade ou retratos de nossa personalidade.
**********************************************
Assisti ao vídeo da Maitê.
Em Portugal ela seria chamada de "tôla".
Poderia utilizar a pouca inteligência que Deus lhe deu e a grande mídia que é a "Globo/GNT/Saia Justa", para denunciar as mazelas que, com certeza afligem o povo brasileiro no dia a dia e por conseguinte a ela.
Assistam a uma aula de "como cuspir no prato que come".
http://www.youtube.com/watch?v=1GCAnuZD7bk Se a intenção era fazer rir, essa mulher foi infeliz. A Globo com todo o seu padrão de qualidade, foi omissa . Estou vendo novamente agora (15.10.2009 -14:10hs.) A Sra. Maitê tentando justificar-se e pedindo desculpas. Desculpas aceitas, por mim, que já sou mais brasileiro que português. Há uma diferença entre critica e deboche com requintes de humilhação. Se eu chego para um amigo, e faço um comentário sobre seu vestuário, maneira de falar ou outro defeito qualquer é uma coisa. Quando eu deboche desses mesmos defeitos, principalmente em público, tem outro pêso. Eu não suporto quando viajo, notícias do Brasil que visam claramente realçar os defeitos, que inclusive são comuns à maioria dos países do mundo, como é o casos da violência.
Agora Ipse Literis o que rola na Net

Gente, realmente fiquei "passada" em ver tanto deboche, falta de educação e cultura de uma pessoa pública, que se diz escritora e inteligente!Bjs.Elenir.

*****************************************

E os portugueses comentaram:
ADMITINDO QUE É VERDADE (e quem sou eu para duvidar), ALGUÉM DO TAL CANAL GNT VISIONOU PREVIAMENTE O "TRABALHO" E CHAMOU A ATENÇÃO DA SENHORA?
BRINCAR, É BOM;
INDUZIR EM ERRO, É ESTUPIDEZ.
DEMONSTRAR IGNORÂNCIA, É AFRONTA
RIDICULARIZAR ALGUÉM NA PRÓPRIA CASA É, NO MÍNIMO, FALTA DE EDUCAÇÃO.
QUANDO ELA CÁ VOLTAR, NÃO SE ESQUEÇAM DE A APLAUDIR DE PÉ!

DEPOIS DE VEREM ESSA "PÉROLA" E PARA DESCONTRAIR, APROVEITEM PARA VER OS VÍDEOS JUNTOS.

Reencaminhando
Vejam o vídeo e, por favor, divulguem:

http://www.youtube.com/watch?v=1GCAnuZD7bk

Este vídeo foi para o ar no programa Saia Justa. A atriz (?) e escritora (?) Maitê Proença estava em Portugal por causa de uma peça teatral e aproveitou o seu momentos de horas vagas (?) para fazer algumas imagens para o quadro do semanal do canal GNT. A pergunta é: como isso foi para o ar? O tema? Aquele mesmo assunto pobre de sempre: gozar com os portugueses. Como isso ainda não basta, ela terminou o vídeo cuspindo. A pergunta é novamente: para quê? Será um laboratório para ela ser “o próximo chafariz” da nova novela da TV Record?Todo o vídeo é uma ofensa a Portugal e aos portugueses. Começa por ir a Sintra para mostrar uma porta de uma casa aparentemente comum com o 3 virado para a direita e, sem perceber o significado esotérico, zoa com os portugueses, pois diz que aquilo demonstra que está em Portugal - os caras nem sabem colocar direito um algarismo numa porta! Só vai a Sintra, que tem imensos monumentos, castelos e palácios, para gozar com aquilo.Depois goza com o Tejo ser, para os portugueses, o mar, quando na realidade ela está junto ao Estuário do Tejo, onde o rio desagua no mar e ambos se confundem. Fala também no Salazar, de que ela não sabe nada, imaginando que, por ter sido um ditador, foi igual a Hitler ou a Mussolini. Goza com o túmulo de Camões, com o estilo arquitectónico manuelino, enfâtisando o Manuel, nome injuriado no Brasil nas piadas de português e fala também no epísódio no Hotel com o seu PC, quando o Hotel tem áreas de Internet e se tinha problemas com o seu Computador pessoal, deveria usar o equipamento disponível no Hotel para os clientes. O Hotel não tem obrigação de reparar os equipamentos pessoais dos clientes, sejam PC's ou carros ou máquinas de barbear ou sei lá o quê.Eu acho que ela vai ter muita vergonha quando souber das reações dos portugueses ao vídeo e vai pensar duas vezes antes de voltar a falar do país e dos seus habitantes. Infame, só revelou ignorância e rancor, talvez dor de cotovelo.Quem deveria ter acesso a este vídeo eram os milhares de portugueses que gastaram muitos euros para assistir às suas peças de teatro em Portugal. O que lhe vale é que o povo português é o mais simpático e sereno do mundo.Enfim... vejam o vídeo e, por favor, divulguem:

http://www.youtube.com/watch?v=1GCAnuZD7bk
Essa mulherzinha quando voltar a Portugal para, cinicamente, dizer maravilhas muito simpáticas, terá explicações a dar...é favor fazer circular para que bem conste...
E o que diz Miguel Sousa Tavares ???? (até hoje, que eu saiba, nada.)
diHITT - Notícias

sábado, 25 de abril de 2009

LIVROS ELETRONICOS. UMA NOVA E MARAVILHOSA MANIA

Há duas décadas atrás profetizamos, que o papel iria acabar, com o advento da Informática.
Lêdo engano. Hoje, é muito mais fácil imprimir, errar a impressão e desperdiçar papel. A quantidade de papel, que chega pelo Correio é impressionante. Ninguém poderia supor que os livros, ao contrário do que se pensava, iam ter um lugar de destaque na Nova Mídia Global. Hoje não viajo. sem o meu pad-book, pois não consigo parar de lêr. Orginalmente, manuscritos, litogravados, datilografados, hoje ocupam lugar de destaque na Net. Seus autores são dissecados, comentados, e amados. A palavra não perdeu e essência. O autor continua presente nas palavras, só que agora, em todos o lares que tem um computador.
Agradeço à Gabi O. pelo email que transportou esta lista de 156 títulos.
A Divina Comédia -Dante Alighieri
A Comédia dos Erros -William Shakespeare
Poemas de Fernando Pessoa -Fernando Pessoa
Dom Casmurro -Machado de Assis
Cancioneiro -Fernando Pessoa
Romeu e Julieta -William Shakespeare
A Cartomante -Machado de Assis
Mensagem -Fernando Pessoa
A Carteira -Machado de Assis
A Megera Domada -William Shakespeare
A Tragédia de Hamlet, Príncipe da Dinamarca -William Shakespeare
Sonho de Uma Noite de Verão -William Shakespeare
O Eu profundo e os outros Eus. -Fernando Pessoa
Dom Casmurro -Machado de Assis
Do Livro do Desassossego -Fernando Pessoa
Poesias Inéditas -Fernando Pessoa
Tudo Bem Quando Termina Bem -William Shakespeare
A Carta -Pero Vaz de Caminha
A Igreja do Diabo -Machado de Assis
Macbeth -William Shakespeare
Este mundo da injustiça globalizada -José Saramago
A Tempestade -William Shakespeare
O pastor amoroso -Fernando Pessoa
A Cidade e as Serras -José Maria Eça de Queirós
Livro do Desassossego -Fernando Pessoa
A Carta de Pero Vaz de Caminha -Pero Vaz de Caminha
O Guardador de Rebanhos -Fernando Pessoa
O Mercador de Veneza -William Shakespeare
A Esfinge sem Segredo -Oscar Wilde
Trabalhos de Amor Perdidos -William Shakespeare
Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
A Mão e a Luva -Machado de Assis
Arte Poética -Aristóteles
Conto de Inverno -William Shakespeare
Otelo, O Mouro de Veneza -William Shakespeare
Antônio e Cleópatra -William Shakespeare
Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões
A Metamorfose -Franz Kafka
A Cartomante -Machado de Assis
Rei Lear -William Shakespeare
A Causa Secreta -Machado de Assis
Poemas Traduzidos -Fernando Pessoa
Muito Barulho Por Nada -William Shakespeare
Júlio César -William Shakespeare
Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente
Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
Cancioneiro -Fernando Pessoa
Catálogo de Autores Brasileiros com a Obra em Domínio Público -Fundação Biblioteca Nacional
A Ela -Machado de Assis
O Banqueiro Anarquista -Fernando Pessoa
Dom Casmurro -Machado de Assis
A Dama das Camélias -Alexandre Dumas Filho
Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
Adão e Eva -Machado de Assis
A Moreninha -Joaquim Manuel de Macedo
A Chinela Turca -Machado de Assis
As Alegres Senhoras de Windsor -William Shakespeare
Poemas Selecionados -Florbela Espanca
As Vítimas-Algozes -Joaquim Manuel de Macedo
Iracema -José de Alencar
A Mão e a Luva -Machado de Assis
Ricardo III -William Shakespeare
O Alienista -Machado de Assis
Poemas Inconjuntos -Fernando Pessoa
A Volta ao Mundo em 80 Dias -Júlio Verne
A Carteira -Machado de Assis
Primeiro Fausto -Fernando Pessoa
Senhora -José de Alencar
A Escrava Isaura -Bernardo Guimarães
Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
A Mensageira das Violetas -Florbela Espanca
Sonetos -Luís Vaz de Camões
Eu e Outras Poesias -Augusto dos Anjos
Fausto -Johann Wolfgang von Goethe
Iracema -José de Alencar
Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa
Os Maias -José Maria Eça de Queirós
O Guarani -José de Alencar
A Mulher de Preto -Machado de Assis
A Desobediência Civil -Henry David Thoreau
A Alma Encantadora das Ruas -João do Rio
A Pianista -Machado de Assis
Poemas em Inglês -Fernando Pessoa
A Igreja do Diabo -Machado de Assis
A Herança -Machado de Assis
A chave -Machado de Assis
Eu -Augusto dos Anjos
As Primaveras -Casimiro de Abreu
A Desejada das Gentes -Machado de Assis
Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa
Quincas Borba -Machado de Assis
A Segunda Vida -Machado de Assis
Os Sertões -Euclides da Cunha
Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
O Alienista -Machado de Assis
Don Quixote. Vol. 1 -Miguel de Cervantes Saavedra
Medida Por Medida -William Shakespeare
Os Dois Cavalheiros de Verona -William Shakespeare
A Alma do Lázaro -José de Alencar
A Vida Eterna -Machado de Assis
A Causa Secreta -Machado de Assis
14 de Julho na Roça -Raul Pompéia
Divina Comedia -Dante Alighieri
O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós
Coriolano -William Shakespeare
Astúcias de Marido -Machado de Assis
Senhora -José de Alencar
Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente
Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo
Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
A 'Não-me-toques' ! -Artur Azevedo
Os Maias -José Maria Eça de Queirós
Obras Seletas -Rui Barbosa
A Mão e a Luva -Machado de Assis
Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco
Aurora sem Dia -Machado de Assis
Édipo-Rei -Sófocles
O Abolicionismo -Joaquim Nabuco
Pai Contra Mãe -Machado de Assis
O Cortiço -Aluísio de Azevedo
Tito Andrônico -William Shakespeare
Adão e Eva -Machado de Assis
Os Sertões -Euclides da Cunha
Esaú e Jacó -Machado de Assis
Don Quixote -Miguel de Cervantes
Camões -Joaquim Nabuco
Antes que Cases -Machado de Assis
A melhor das noivas -Machado de Assis
Livro de Mágoas -Florbela Espanca
O Cortiço -Aluísio de Azevedo
A Relíquia -José Maria Eça de Queirós
Helena -Machado de Assis
Contos -José Maria Eça de Queirós
A Sereníssima República -Machado de Assis
Iliada -Homero
Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco
A Brasileira de Prazins -Camilo Castelo Branco
Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões
Sonetos e Outros Poemas -Manuel Maria de Barbosa du Bocage
Ficções do interlúdio: para além do outro oceano de Coelho Pacheco. -Fernando Pessoa
Anedota Pecuniária -Machado de Assis
A Carne -Júlio Ribeiro
O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós
Don Quijote -Miguel de Cervantes
A Volta ao Mundo em Oitenta Dias -Júlio Verne
A Semana -Machado de Assis
A viúva Sobral -Machado de Assis
A Princesa de Babilônia -Voltaire
O Navio Negreiro -Antônio Frederico de Castro Alves
Catálogo de Publicações da Biblioteca Nacional -Fundação Biblioteca Nacional
Papéis Avulsos -Machado de Assis
Eterna Mágoa -Augusto dos Anjos
Cartas D'Amor -José Maria Eça de Queirós
O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós
Anedota do Cabriolet -Machado de Assis
Canção do Exílio -Antônio Gonçalves Dias

diHITT - Notícias

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Maiakovski - É para pensar. Vivemos ainda essa realidade. E contiuamos inertes, ante a violência.


Não tinha ouvido falar em Maiakovisk ou sua obra, até há trinta anos atrás, quando restabelecida a democracia no Brasil, ou um pouquinho depois.
Numa Cerim
ônia de entrega do Oscar, um dos apresentadores anunciou a declamação, de um poema de um abade, ou padre francês, por um artísta. Êrro típico dos americanos.
Depois em 1980 num "sarau" em Mar Del Plata, Roberto Aguelle diretor da ATC, citou o mesmo poema, refererindo-se ao poder do triunvirato, que governava a Argentina. Afetados pelos
"males de baco", nós não soubemos identificar o autor. Passei todo esse tempo, procurando por esse abade ou padre. Até o Santo Google me traiu.
Hoje, Alexandre, O Grande, deu-me este presente.
Estes poemas, tem tudo a ver com a nossa situação política, ou seja, nós vamos deixando as mazelas acontecerem, sem nada dizer ou fazer, e continuam os escândalos e os abusos, todos os dias.

Detalhe; depois de Maiakovski, Bertold Brecht, Martin Niemöller, e Cláudio Humberto, escreveram poemas similares mantendo acesa a chama da revolta, ante a indolência.

*************************************************************************************


Maiakovski
Poeta russo "suicidado" após a revolução de Lenin…
escreveu, ainda no início do século XX :


Na primeira noite, eles se aproximam
e colhem uma flor de nosso jardim.
E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem,
pisam as flores, matam nosso cão.
E não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles, entra
sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua,
e, conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.

E porque não dissemos nada,
já não podemos dizer nada.

Depois de Maiakovski…

***************************************************************************

Bertold Brecht (1898-1956)

Primeiro levaram os negros.

Mas não me importei com isso .
Eu não era negro.

Em seguida levaram alguns operários .
Mas não me importei com isso.
Eu também não era operário.

Depois prenderam os miseráveis .
Mas não me importei com isso,
porque eu não sou miserável.

Depois agarraram uns desempregados.
Mas como tenho meu emprego,
também não me importei.

Agora estão me levando,
mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém,
ninguém se importa comigo.

***************************************************************************

Martin Niemöller

Um dia vieram e levaram meu vizinho, que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.

No dia seguinte, vieram e levaram
meu outro vizinho, que era comunista.
Como não sou comunista, não me incomodei .

No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico.
Como não sou católico, não me incomodei.

No quarto dia, vieram e me levaram;
já não havia mais ninguém para reclamar...

***************************************************************************

Cláudio Humberto, em 09 FEV 2007

Primeiro eles roubaram nos sinais,
mas não fui eu a vítima,
Depois incendiaram os ônibus,
mas eu não estava neles;
Depois fecharam ruas,
onde não moro;
Fecharam então o portão da favela,
que não habito;
Em seguida arrastaram até a morte uma criança,
que não era meu filho...







diHITT - Notícias

sábado, 21 de março de 2009

Camara do Deputados realiza O FORUM BRASILEIRO DO CIRCO dia 26 de março em Brasília e não convida entidades circenses.

Será que esta leoa, um animal selvagem, foi maltratada por seu domador?
Orlando Orfei e Elza.

Marlene Olimpia Querubin - Presidente da
UBCI - União Brasileira de Circos Itinerantes

Camara do Deputados realiza O FORUM BRASILEIRO DO CIRCO dia 26 de março em Brasília e não convida entidades circenses.

Por meio desta, manisfestamos nosso repúdio ao FORUM BRASILEIRO DO CIRCO que se realizará na Câmara dos Deputados, no próximo dia 26 de março, por iniciativa do Sr. José Carlos dos Santos Silva, palhaço Plim Plim, assessor do Deputado Paulo Rubem Santiago do PDT-PE.



O FORUM BRASILEIRO DO CIRCO, iniciativa que poderia merecer aplausos, está maculado com um defeito gravíssimo que o descredencia como gerador de bases para a construção de uma legislação adequada e de políticas públicas de incentivo a atividade circense.


Ora, Fóruns, eram os centros das cidades romanas, o mesmo que Àgora para os Gregos, era lá que os cidadãos debatiam assuntos ligados ao comércio, religião, sociedade etc. O FORUM BRASILEIRO DO CIRCO pretende discutir assuntos que envolvem o Poder Público e a comunidade circense e que podem selar o destino de muitas famílias, empresas e tradições culturais milenares.


Mas para esse encontro que se entitula FORUM BRASILEIRO DO CIRCO não foi chamada nenhuma entidade que represente, empresários circenses, familias circenses e artistas circenses. Quem representa o CIRCO brasileiro neste fórum? O palhaço Plim Plim? Jamais!!!


É inadmissível que o assessor de um representante do povo brasileiro, um deputado, realize um evento dessa importância sem saber que existem a UBCI – União Brasileira de Circos Itinerantes, ASFACI - Associação das Famílias Circensesa ABRACIRCO – Associação Brasileira de Circo e o SATED – Sindicato dos Artistase Técnicos em Espetáculos e Diversões. Isso sem falar em ONG's que defendem os animais em circo, Associação dos Zoológicos, Cooperativas de artistas circenses etc.


Mas essas quatro entidas acima citadas são militantes da defesa das artes circenses que JAMAIS poderiam ser esquecidas nesse evento.
Esse fato DESCREDENCIA a iniciativa e retira dela qualquer credibilidade que a mesma poderia impor junto aos órgãos do Estado.


Uma intenção de onde poderia surgir uma gama enorme de sugestões para vários setores do Poder Público, acaba por reverter toda uma articulação – de anos - da comunidade circense, no combate a aprovação do substitutivo ao Projeto de Lei 7291/06 apresentado pelo Deputado Antonio Carlos Biffi, do PT/MS.


O Senador Álvaro Dias apresentou o Projeto de Lei original, que regulava a atividade circense, o PL foi resultado de anos de discussão com a classe circense e todos seus legítimos representantes.


A realização desse FÓRUM, sem que fossem convidadas as entidades representativas do Circo Brasileiro, justamente na véspera do dia em que é comemorado o dia nacional do Circo, quando todos os circenses estão se preparando para vários espetáculos comemorativos, nos parece uma forma de realizar o evento sem discussão daquele substitutivo que pode acabar com tradições que remontam a gerações inteiras de famílias circenses, fechar várias empresas e tornar profissionais reconhecidos mundialmente sem emprego, dentre outras desgraças e arbitrariedades que a aprovação daquele substitutivo pode causar.


É vergonhosa a forma discriminatória como os circos são tratados no substitutivo, é inconstitucional, anti-ético, anti-democrático e aviltante o tratamento destinado aos artistas circenses, suas famílias e aos empresários circenses.


Enfim, todas as entidades, que assinam esta carta de repúdio, querem informar que não foram convidadas ao Forum Brasileiro do Circo, que será realizado em data inoportuna e não terá nenhuma credibilidade, tendo em vista que não haverá diálogo e participação dos legítimos representantesdo CIRCO BRASILEIRO.

Rogamos a todas autoridades que recebem nossa carta, que tomem providências no sentido de fazer valer o Estado Democrático de Direito, e que nãose deixem enganar por oportunistas que não conhecem a realiadade do Circo no Brasil, seus anseios, angústias e problemas.


Esta carta está sendo enviada para toda a imprensa, com a lista de autoridades as quais a mesma foi encaminhadas por via eletrônica.


Atenciosamente.
( assinam as entidades e demais )


UBCI- União Brasileira de Circos Itinerantes
Marlene Olimpia Querubin
Presidencia
www.spacial.com.br
+55 - 11 92919857
+55 - 11 7875 2193


Carta aberta a Marlene Olimpia Querubin - Presidente da UBCI - União Brasileira de Circos Itinerantes

Cara Marlene.
Saudações!

É importantíssimo que você. que é eloquente e hoje uma das mais importantes representantes dos circos brasileiros, tome a frente e se faça representar. Numa conversa, no Anhembi em 2006, entre eu, Beto Pinheiro, George Stevanovich, Marcio Stankowich, e o pai, Orlando Orfei e Mário Orfei, Arturito, e acho que você, não lembro, eu lembrei que o maior problema dos Circos no Brasil era a falta de uma representatividade efetiva. Ele fizeram, tudo isto porque sempre acharam que nós éramos um bando de ciganos sem identidade política. Eles nunca imaginaram possibilidade de terem todos os os circos com seus animais e carretas caminhões e trailers, reunidos a Esplanada dos Ministérios em Brasilia, protestando, contra a discriminação aos circenses. Isso eu npropus naquela noite, mas entrou por um ouvido e saiu pelo outro. "Fogueira das Vaidades". Dez anos (1970-1980) eu permaneci no Orlando Orfei e nunca senti intenção de unificação dos mais famosos. Orfei, Garcia, Thyani, Bartolo, Spacial e até o Beto Carreiro.
Quando eu estava Coordenador de Comunicação Social da Prefeitura Municipal Nova Iguaçu, (1983-1986), e esquecia de convidar uma entidade, para uma audiência pública, esta imediatamente se fazia representar, até, mediante uma simples e sumária liminar. É de suma importância que estas entidades estejam presentes dia 26, até para demonstrar força junto aos congressistas, única linguagem que eles respeitam neste estado de direito dito democrático. É pena que Orlando Orfei, debaixo dos seus 88 anos de idade, não possa estar presente, mas se você for, garanto que já é meio caminho andando.
Continuamos aqui em nova Iguaçu à sua disposição.
Vou publicar a tua carta assim como esta, no meu Blog.
Atenciosamente
David Avelar
Assessor de Imprensa de Orlando Orfei
www.davidavelar.blogspot.com
davidavelar@yahoo.com.br

Nestes links estão os resultados da desunião:
********************************************************************************
Olá amigos!

Talvez não seja do conhecimento dos senhores, portanto, repasso a informação.

Vamos nos manifestar contra essa enganação que é o Fórum Brasileiro do Circo (a ser promovido pela Câmara dos Deputados)! Como sempre, o Circo é vítima da visão preconceituosa, deturpada, terrorista, fundamentalista e interesseira de alguns elementos.
Abaixo, segue texto sugerido como carta de repúdio ao evento, elaborado pelas competentes Senhoras Alice Viveiros de Castro e Marlene Querubim:
Alan Fabre.




diHITT - Notícias

terça-feira, 17 de março de 2009

A Criança que calou o mundo por 5 minutos na RIO-ECO92

Eu encontrei tempo para assistir ao depoimento deste criança na ECO92 no Rio de Janeiro.
Parece que as palavras proferidas por ela, entraram por um ouvido e saíram pelo outro.
Na época ela representava a ECO-Organização das Crianças em Defesa do Meio Ambiente. Severn Cullis Suzuky é canadense e hoje está com 30 anos. Ela fez a parte dela. E como fez!
Minha empresa foi responsável pelo som do Pavilhão 7, e tive a oportunidade e o privilégio de assistir ao vivo. Agora depois de tantos anos encontro o vídeo que me foi enviado pelo Alexandre O Grande.
Vale aqui uma análise profunda. O YouTube coloca o numero de pessoas que vêem os vídeos, no canto à direita em baixo.

O 1º video da Severn tem 233170 hits.
O Vídeo postado em 27 de janeiro de 2007 por um usuário cujo nick é evandronew, tem 1.824.180 de hits http://www.youtube.com/watch?v=5g8cmWZOX8Q

Severn Suzuky tem 135 vídeos postados nos últimos anos, até porquê não havia YouTube em 1992. Aliás a Internet estava engatinhando.

Severn Cullis-Suzuki (born November 30, 1979 in Vancouver, Canada)

Leia mais:
SEVERN SUZUKY
. , HOJE




diHITT - Notícias

domingo, 1 de março de 2009

O custo abusivo da energia elétrica no Brasil


Nós temos a maior rede fluvial do mundo. Nós ainda temos a maior usina do mundo. A Hidrelétrica de Itaipu Binacional. Vamos perder a higemonia, quando a Usina Hidrelétrica das três Gargantas, no Rio Yang-Tsê, na China, entrar em pleno funcionamento, previsto para este ano.
Aprendíamos na Escola Técnica Celso Sucow da Fonseca em 1998, que a geração hidrelétrica era a mais barata e mais limpa. Só para terem uma idéia, eu tenho uma amiga que mora em Las Vegas (um dos lugares mais quente do mundo). Ela trabalha em casa, costurando figurinos para artistas dos shows dos cassinos. Fica com dois ar-condicionados de 10.000 BTUS ligados 24 horas. Mais todos os utensílios elétricos. Paga US$ 80.00 por mês. Detalhe. A maior parte da energia de Las Vegas ainda continua sendo gerada pela represa Hoover, construída na época da Grande Depressão Americana e inaugurada em 1936 a um custo de 48 milhões de dólares. Outra parte da energia, já vem da floresta de geradores eólicos ao longo da famosa rota 62 na Califôrnia http://en.wikipedia.org/wiki/San_Gorgonio_Pass_Wind_Farm. A energia e o desperdício d´água, deveriam ser absurdos, com tantas fontes e roupas para lavar. Vejam esta matéria de Tanira Lebedeff, correspondente da Globo News em Los Angeles.
Agora vejam esta pérola do MST. Isso mesmo, página do Movimento dos Sem Terra. ORG.
http://www.mst.org.br/mst/pagina.php?cd=4467 . O professor Dr. Dorival Gonçalves Junior, da Universidade Federal do Mato Grosso, dá as devidas explicações com um certo fundo ideológico de esquerda, como deveria ser ser numa página do MST. Destaco essa máxima do professor...- "Mas os capitalistas que acessam essa cadeia produtiva acabam desfrutando, além do lucro médio, um lucro, que eu chamo de suplementar, que faz com que obtenham alta lucratividade nessa área".
Ainda pesquisando no Santo GOOGLE encontramos uma página do MAB - Movimento Amigos de Bairros, Nacional, que mais parece um panfleto virtual
Um BLOG mineiro define bem o que aconteçe no Brasil
6.100 referências no Google, a maioria esmagadora protestando contra o alto custo da energia no Brasil.
A assim aconteçe com a gasolina, comunicações, veículos, alimentação, etc.
Impressionante. Para mim a Internet é fonte de estudo, aprendizagem, pesquisa e óbvio, conscientização. Aí vem a famosa pergunta que não quer calar e odiada pelos xenófobos-xiitas. "O que bom para os outros países, não é bom para o Brasil? O último cara que fez essa pergunta quase foi linchado numa reunião de literatos-pseudo-nacionalistas-de-esquerda na década de 80, e continua valendo a indignação. Não vamos comparar o Brasil aos outros países. São realidades diferente, diziam. E é por isso, que o Brasil está na merda! Desculpem a palavra xula. Ainda mais agora quando a economia está "globalizada". Quando uma empresa dá um peido na China e gente sente o cheiro aqui. Algo como o "Efeito Borboleta". E quando falo que o Brasil está na merda, é porque acredito que este país ainda vai ser o "País do Futuro".
Links relacionados:




diHITT - Notícias